Imprensa / Notícias Simplas
28/06/2017

Simplás exige respeito a garantias constitucionais e à dignidade de trabalhadores honestos

Sindicato que representa empregadores de aproximadamente 10 mil pessoas repudia paralisações oportunistas e prejuízos ao direito de ir e vir

O Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) manifesta sua contrariedade à orquestração de paralisações, com bloqueios forçados e desrespeito às garantias constitucionais de trabalhadores honestos, previstas para esta sexta-feira (30), em alguns locais do Brasil. A entidade se alinha ao posicionamento externado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs) na segunda-feira (26), ainda em consonância com a Confederação Nacional da Indústria (CNI).

"Respeitamos a liberdade de greve, que é um direito garantido por lei, tanto quanto exigimos respeito à liberdade de ir e vir de todo cidadão brasileiro, que também é uma prerrogativa assegurada pela Constituição Federal de 1988. O que repudiamos com total veemência são as paralisações oportunistas, conduzidas por uma minoria privilegiada, que desfruta de estabilidade empregatícia ou goza de exclusiva vinculação partidária, e não respeita a vontade de trabalhadores honestos que precisam se deslocar em busca do próprio sustento", afirma o presidente do Simplás, Jaime Lorandi.

No entendimento do sindicato que representa mais de 400 empresas, geradoras de trabalho e renda para aproximadamente 10 mil famílias em oito municípios da Serra Gaúcha, o ensaio de greve é inoportuno e não leva em consideração o momento de extrema dificuldade econômica e social enfrentado por todos os brasileiros. Pelo contrário, aliás, tira proveito do contexto de fragilidade da população.

"Há um uso indiscriminado de pessoas humildes, contratadas a preço vil e sem nenhum direito trabalhista respeitado na tarefa, para ficar agitando bandeiras ou formando piquetes de 30 a 60 pessoas em pontos estratégicos, dando uma falsa impressão de apoio e prejudicando os verdadeiros trabalhadores e cidadãos honestos que contribuem para o país. Sanduíche de mortadela não é remuneração prevista na CLT", observa Lorandi.

O Simplás manifesta-se a favor da manutenção das instituições democráticas baseada no rigoroso cumprimento dos estatutos constitucionais e a favor da harmonia nas relações entre empresários e trabalhadores, para que unidos consigam enfrentar a crise, estimular a retomada dos investimentos e, consequentemente, da geração de empregos.

"Nossa grande preocupação é com os 14 milhões de trabalhadores desempregados espalhados pelo Brasil. Gostaríamos que este mesmo sentimento humanitário fosse compartilhado pela minoria de privilegiados que encena o apoio as suas manobras com pessoas humildes contratadas à margem da lei", finaliza Lorandi.

 

Foto: wpmap.org

Conheça Nossos Associados